Global Ties ajuda combater a fome com um clique no Youtube

As campanhas da ONG Global Ties quase sempre buscam o engajamento das pessoas no ambiente virtual com objetivo de arrecadar fundos para combater a fome. Só para ilustrar, atualmente:
– 1 em cada 8 pessoas no mundo sofre com a fome ou desnutrição;
– 870 milhões de pessoas é o número calculado de pessoas em estado de miséria e fome. Isso equivale a 12.5% da população mundial.
– A fome resulta na morte de 9 milhões de pessoas por ano.

A campanha de 2013 criou três modelos de braceletes cujo valor definia uma métrica real de quantas pessoas você estaria tirando da fome por produto comprado. Apesar da ideia parecer genial, a campanha foi encerrada em outubro do ano passado e só alcançou 40% da meta estipulada: cerca de $19.000.

Certamente, deu pra fornecer alguns pratos de comida, mas seriam necessários $30 bilhões de dólares para acabar com a fome no mundo. Foi aí que a agência da ONG na Rússia teve uma ótima ideia: utilizar o novo sistema de monetização do youtube para arrecadar o máximo de cliques e reverter fundos para ONG.

Para quem não conhece ainda o sistema de monetização, valem as dicas:
– Qualquer produtor de conteúdo e portador de um canal pode monetizar seus vídeos;
– Se você se encaixa nesse perfil e for inscrito no AdSense tudo fica mais simples;
– Um anunciante mostra um banner no seu vídeo e por conta da exposição do anúncio e número de cliques gerados, o dono do canal gera receita.
– O YouPix produziu amplo conteúdo sobre o tema na série FAQ sobre o Youtube, inclusive, participaram de um hangout com o Youtube para esclarecer as principais dúvidas dos vloggers brasileiros.

Mas voltando à campanha: gerar o maior número de visualizações e cliques na peça exposta no vídeo. Essa é a meta de 2014 para que a Global Ties possa desenvolver ações de combate à fome.

E, claro, como qualquer cliente não governamental, “no amor”. Não existe verba pra Facebook Ads ou links patrocinados. A campanha depende do engajamento de usuários de internet no mundo todo para decolar.

Eu, você e todo mundo que está lendo este texto agora pode contribuir para o sucesso da campanha e, de forma simples: Sem cadastro. Sem e-mail marketing. Sem compra de nenhum produto ou serviço.

Se você quiser ajudar, basta assistir o vídeo e clicar no banner que ele exibir (particularmente, já assisti e cliquei mais de uma vez. Os anunciantes foram Pepsi e Decolar).

Se quiser dar mais uma forcinha, compartilhe o vídeo também.

Vale lembrar:
* o vídeo é em inglês para atingir o máximo de pessoas independente do local;
** O youtube só permite a monetização para canais com conteúdo próprio e original. Ou seja: usar imagens ou trilha sonora de terceiros impediria que o vídeo fosse monetizado.

A campanha é da agência Havas Rússia e o post foi uma sugestão do Diretor de Criação Lucas Zaidan.

Patrícia Moura

Patrícia Moura é Publicitária, Especialista em Mídias Digitais e professora em cursos de Pós-graduação e MBAs em Marketing digital.

6 comentários sobre “Global Ties ajuda combater a fome com um clique no Youtube

  1. Então Patrícia… Se foi isso que entendi (posso ter entendido errado), a ação será furada rapidamente. A ação pode ser justa, porém como fica o sistema de anúncios? Essa ação não é interessante para o anunciante. Sou especialista em search marketing (MZclick) e naturalmente vou pensar como eu faria a gestão desse anunciante (Pepsi e Decolar). Quando um anunciante veicula um anúncio, ele vai analisar (ou deveria) a qualidade desse clique. Nessa campanha todos os cliques serão inválidos, pois as pessoas clicam para ajudar a causa e o coitado do anunciante paga por clique, porém um clique sem qualidade. Logo o anunciante irá parar de anunciar nesse vídeo/canal, pois só recebe cliques e não converte nada! A ação será furada. Existe um sistema onde é possível criar campanhas bem interessantes (patrocinado gratuito) – https://www.google.com/intl/pt-BR/grants/

  2. Legal Patrícia! Mais um belo post! Gostei da iniciativa da empresa. Contudo, me questiono sobre a utilidade disso para o anunciante. Eu sou da MC Digital (empresa que aparece na sua foto de capa), e pago por cada clique recebido nesses banners. Deduzo que os cliques sejam motivados por um desejo de conhecer a empresa ou produto anunciado. O usuário é direcionado para o site, onde irá conhecer nossos serviços e, quem sabe, se tornar um cliente. Porém, se as pessoas clicarem apenas com a intenção de ajudarem essa causa, que benefício terá para minha empresa? Claro que pensando sobre a sociedade, isso é uma ideia genial e comovente, mas sobre a ótica empresarial, não contribui para a geração de leads.

  3. Oi, Natália! Sou o Diretor de Criação da peça, e queria responder sua pergunta, já que ela foi pauta na mesa em várias reuniões ao fazer o projeto.

    Tudo que o anunciante mais quer é a chance do usuário entrar no site que ele está anunciando, certo? Tentam de todas as formas: títulos gigantes, imagens coloridas, brincadeiras. Tudo por um clique, pra depois, no site, tentar convencer o usuário a comprar o que está sendo vendido. Nessa peça, o garoto incentiva você a clicar, o que inevitavelmente significa conhecer o site, pulando esse trabalhoso step de “convencimento”.

    E como o próprio Youtube segmenta os anúncios baseado nos perfis, muito provavelmente o anúncio que aparecer pra você, é relevante. E se for, o que esse projeto faz (além ajudar a acabar com a fome) é garantir uma enorme taxa de conversão, jogando o potencial de leads lá pra cima (dependendo do que você vai fazer com esse usuário na página final que levou ele).

    • Lucas, obrigada pela sua resposta! Gostei muito dos seus argumentos. Acho que você está certo sobre a exibição do banner ser relevante ao usuário, mas também entendo que o simples fato dele clicar no link e ser direcionado para o site, não o fará navegar no mesmo. Entenda que gostei muito do projeto, mas achei necessário levantar essa questão aqui para debate.

  4. Natália,

    É incrível como antes de entender a genialidade de um vídeo como esse, o que mais aparece é uma crítica.

    Se por acaso seu banner não está convertendo é exatamente porque está no local errado. Essa mídia é forte porque ela analisa o contexto e retorna uma publicidade para um público e para um assunto. Não existe nas tags do vídeo nenhum tipo de keyword spam e se o público do vídeo não está adequado você deve rever sua segmentação com urgência.

    Trazendo alguns dados:
    – se você pede um clique, você tem 30% mais chances de cliques
    – se o anúncio tem contexto, você tem 50% mais chances de cliques
    – se a sua página está preparada para receber algo no contexto do anúncio e no contexto do vídeo, você tem 40% mais chances de converter
    – se você está presente em mais de um canal, com a mesma mensagem e página de pouso, você aumenta bastante as suas chances de conversão

    Resumindo a idéia, vejo a genialidade do vídeo por ajudar as pessoas que precisam (anunciantes e a resolver um problema social), entretanto, potencializa também o ganho de cliques em um anúncio mal posicionado.

    Parabéns a Patrícia pelo excelente post e ao Lucas Zaiden pela excelente iniciativa.

    • Diego, em momento nenhum critiquei o projeto, inclusive gostei muito da iniciativa. Contudo, como anunciante, tive que colocar em debate alguns questionamentos. O Google trabalha fazendo o levantamento de perfis e histórico de consultas. Então, como o Lucas mesmo disse, se meu banner aparece para você, possivelmente, tem alguma relação com o seu histórico de pesquisas e visitas. Isso não significa que minha segmentação esteja errada!
      A questão é se as pessoas fecharão a página logo após ao clique ou navegarão pela mesma. Se a maior parte das pessoas fizerem a primeira opção, certamente os cliques serão invalidados e minha taxa de conversão não será expressiva. Partindo da premissa do Google AdSense, como anunciante, eu não posso clicar nos banners e nem solicitar que amigos e/ou parentes façam isso. Isso porque, para que minha campanha tenha um resultado expressivo, apenas as pessoas interessadas devem clicar e ser direcionadas para o meu site. De qualquer forma, acho a iniciativa sensacional! Precisamos de mais ideias e atitudes humanitárias neste país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>